Festival político e apartidário “Existe Amor em SP” reúne milhares de jovens no centro de São Paulo

Há 15 dias atrás, aconteceu a primeira ocupação da Praça Franklin Roosevelt, com o intuito de tirar Celso Russomano das possibilidades de ser eleito, com o nome de “Amor Sim, Russomano Não”, o evento foi de grande importância e conseguiu vitória no dia de eleição: Celso Russomano ficou fora do segundo turno.

E ontem, pela segunda vez, milhares de jovens foram até a Praça RosaRoosevelt mostrar que, além de existir amor em São Paulo, existe uma cidade mais humana. A ocupação foi quase um grito de socorro para a cultura, que com a atual gestão da cidade foi, por diversas vezes, proibida.

Cartazes, placas, caras pintadas, tudo isso em nome do amor, o amor que a cidade precisa para ser mais cultural, estar próxima do seu povo. Ser uma cidade verdadeiramente pública e democratizada.

Apesar de ser uma ocupação política, ela foi apartidária: a intenção do festival não foi tirar ou colocar alguém do cargo de prefeito, e sim chamar a atenção dos candidatos para a cultura.

No evento criado no Facebook, a descrição é clara:

“É hora de mostrar que existe em São Paulo um espírito de solidariedade e resistência política que transcende partidos e regiões. Que há uma maneira mais atual, eficiente e inspirada de fazer política por aqui. São pedestres, ciclistas, trabalhadores, desempregados, artistas, ativistas, cidadãos de todos os bairros que estão se encontrando, articulando e descobrindo que, juntos, podem ocupar a rua em nome de uma cidade mais pública, humana, inclusiva e gentil.”

O festival aconteceu. E deixou todos boquiabertos pela organização e quantidade de pessoas reunidas em prol de um bem em comum: a cidade de São Paulo.

Com três palcos tocando simulteneamente, teve muita música e nomes de grande importância no cenário brasileiro, entre eles: Criolo, Emicida, Gabi Amarantos e Karina Buhr, também os grupos Fora do Eixo, SampaPé e o Matilha Cultural.

Além dos palcos com os artistas, na praça encontramos diversos grupos de jovens se apresentando das mais variadas formas: palhaços, ativistas, protestantes, artistas circenes, malabaristas e outros.

Toda a organização do festival foi feita sem nenhum tipo de apoio da prefeitura ou qualquer orgão oficial, e sua divulgação foi feita apenas através das redes sociais e o famoso boca-a-boca, o que acabou dando muito certo. As atrações e todos os organizadores não receberam dinheiro pelo evento e mesmo assim se dedicaram para fazer tudo acontecer de forma perfeita.

Sem nenhuma repressão da polícia e nenhuma briga, o festival aconteceu de uma forma linda e cheio de amor para distribuir para quem quisesse chegar por lá.

Quem participou do evento com certeza se sentiu emocionado de ver tanto ativismo por parte dos jovens. E a incrível constatação de que um movimento iniciado nas redes sociais pode sim sair às ruas e fazer a diferença.

Confira algumas fotos do evento clicando no link abaixo, e descubra que existe sim amor em SP. ♥

http://www.flickr.com/photos/prosamoderna/sets/72157631827710884/

Post publicado no site PROSA MODERNA.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s